Euribor: As consequências práticas para empresas e pessoas

Euribor: As consequências práticas para empresas e pessoas

Euribor é, ao fim de alguns anos, novamente tema recorrente e que traz preocupação a muitas famílias e empresas. Mas o que significa, afinal? E que impacto é que terá na sua carteira?

Quando negoceia um financiamento com uma instituição de crédito, é-lhe apresentada uma taxa de juro sobre o capital financiado. Esta taxa de juro é o resultado da soma de dois componentes: o spread e a Euribor. O spread é, de uma forma muito simples, o “lucro” que o banco vai ter com o financiamento que lhe concedeu. Esta taxa é definida pelo banco, mantém-se a mesma ao longo do contrato (a menos que seja renegociada) e pode ser diferente de financiamento para financiamento. Já a Euribor é definida diariamente pela Federação Europeia de Bancos e resulta da média das taxas de juro praticadas por um conjunto de bancos quando fazem empréstimos entre si. As taxas que daqui resultam servem de referência a aplicar aos financiamentos concedidos pelas instituições de crédito.

Quando negoceia um financiamento tem duas hipóteses: contratar uma taxa de juro fixa ou uma taxa variável. Contratar um financiamento com taxa fixa significa que esta se vai manter inalterada ao longo do período do financiamento (ou de uma parte deste). Isto faz com que quaisquer que sejam as oscilações nas taxas Euribor, os encargos financeiros com o empréstimo em causa mantêm-se iguais. Negociar uma taxa fixa é fortemente aconselhado em períodos como o que vivemos atualmente, com as constantes e significativas subidas das taxas Euribor.

Se contratar uma taxa variável vai ver as suas prestações oscilarem ao longo do tempo. Isto acontece porque periodicamente, como explicaremos com mais detalhe no exemplo abaixo, a sua taxa de juro vai sendo atualizada tendo em conta as taxas Euribor de referência nessa altura. O seu financiamento pode estar indexado a uma taxa Euribor a vários prazos: uma semana, um mês, três, seis ou doze meses (os prazos de 3, 6 e 12 meses são os mais comuns). As taxas variáveis são normalmente aconselhadas em períodos em que as taxas Euribor estão baixas, como acontecia até há uns meses, ou em períodos em que estão a baixar.

O Banco de Portugal estima, no seu último Relatório de Estabilidade Financeira, que cerca de 90% dos créditos à habitação em Portugal têm taxa variável (na sua grande maioria indexada à Euribor a 12 meses).

Porque variam as taxas Euribor?

O conteúdo que estás a aceder é restrito a utilizadores registados no nosso site. O Registo é gratuito, e pode fazê-lo através do seu email NESTE LINK ou, se preferir, pode entrar através do seu Facebook aqui:

Se já possui uma conta, por favor faça aqui o seu Login.

Nota: Ao subscrever uma conta no nosso site, está a dar o seu consentimento para a recolha e processamento dos seus dados. Saiba mais aqui

Leave a comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *