8 tendências nos negócios para 2016

8 tendências nos negócios para 2016

Estamos no início do ano e muitos de nós prepara a estratégia para o ano que se avizinha. Para tal, num mundo cada vez mais competitivo e ligado à tecnologia, estar constantemente informado sobre novas tendências tornou-se crucial.

Aqui ficam algumas das principais tendências para o ano de 2016.

As oportunidades do Freelancing

O constante aumento de profissionais especializados está a ter um impacto relevante no mercado “freelancer”. Ao contrário do que muitos pensam, este crescimento parece não querer abrandar. Só em 2015, num estudo efetuado a cerca de 1000 trabalhadores dos Estados Unidos, cerca de 34% efetuaram algum tipo de trabalho “freelancer” no último ano, e para cerca de 60% destes, 25% ou mais do seu rendimento foi proveniente desses trabalhos.

Pode não parecer muito, mas mostra que é cada vez mais fácil para as empresas adquirir trabalho “freelancer” especializado e a preços competitivos, sobretudo devido a tecnologias como a “Cloud” e a Ferramentas de Trabalho Remoto, a tendência “Freelancer” parece que manterá uma tendência de crescimento.

Adaptação ao Mundo Digital

As novas tecnologias transformaram, em muito, a maneira como devemos abordar o desenho de um modelo de negócio. Em 2016 as empresas devem ser conduzidas a pensar, não só na estratégia de interação pessoal, mas também nas estratégias de angariação de clientes e venda de produtos, através de todas as plataformas digitais (telemóveis, sites na internet, redes sociais, etc.).

Trabalho Remoto

Diversas empresas já estão a oferecer a opção de trabalho remoto.

Num mundo onde a internet e a tecnologia fazem cada vez mais parte das nossas vidas, e onde as entregas de trabalho podem ser feitas enviando simplesmente um email, exigir que seus funcionários fiquem 8 horas por dia dentro de um escritório só para cumprir horário parece ter os dias contados para determinadas funções.

O trabalho remoto, onde cada funcionário pode trabalhar em qualquer lugar (um café, um “coworking” ou de casa) é um modelo que parece fazer cada vez mais sentido.

Relacionamento com o público

Não é novidade que as redes sociais se afirmaram no mercado e deixaram de ser apenas para adolescentes. Hoje, profissionais de referência utilizam as redes sociais para trabalhar, divulgar os seus serviços ou produtos, bem como para fazer negócio.

Por seu lado, a relação das marcas com o público através dos meios digitais cresce de importância, sendo que as marcas procuram estar cada vez mais próximas e atentas ao que o público deseja e precisa. Quanto mais perto uma marca possa estar de seu público nas redes sociais, mais poderá crescer e afirmar-se perante os seus concorrentes.

Conteúdo como forma de divulgação

O algoritmo do Google estabelece-se como líder incontestado nas listagens de pesquisas na Internet. Neste sentido, cada vez mais o algoritmo dará importância ao conteúdo dos sites. Qualquer empresa que queira afirmar a sua presença digital em relação aos seus concorrentes, necessita de investir em conteúdo específico para o seu público-alvo.

No entanto, não basta disponibilizar conteúdo “só porque sim”. É imperioso um planeamento prévio e, para isso, é bom contar com uma empresa ou profissional especializado para este trabalho. Existem vários dados que comprovam que, a médio e longo prazo, o investimento na criação e publicação de conteúdo acaba por reduzir a necessidade de investimentos em anúncios, links patrocinados e outros.

O grande segredo é produzir conteúdo útil para o público que a empresa deseja atingir. Um cliente com potencial poderá não saber da sua existência, mas poderá encontra-lo através do Google.

Internet of things

A “internet das coisas” altera completamente o modo como as empresas produzem produtos. Já não se trata apenas do produto físico. Nos dias de correm, a sua empresa tem de se focar também no “software” do produto, ou nas “apps”, e prestar atenção à conectividade do mesmo, isto é, à forma como aquele interage com outros “produtos”.

Informação valiosa e cibersegurança

A informação é mais valiosa do que alguma vez foi. A criação de modelos que analisam e preveem o comportamento dos seus clientes está crescentemente ao alcance de todos. Tudo o que fazemos no dia-a-dia, através do nosso telemóvel, é transformado em informação que, mais tarde, tem um valor imenso para as empresas que dispõem dessa informação. Veja-se o caso dos serviços de localização que são ativados por algumas aplicações para smartphone, e pense-se o quanto não vale saber por onde andamos e o que fazemos em cada local. Diz-se que a Google assenta atualmente o seu modelo de negócio na recolha, tratamento e análise de dados.

Se a importância da informação impera, então a segurança da mesma é fundamental. Já pensou nas consequências de alguém aceder à informação interna da sua empresa, e poder utilizá-la contra si? Pense nisto e atue, antes que seja tarde.

Informação valiosa e cibersegurança

O comércio eletrónico já não é novidade. No entanto, existem ainda muitas empresas que tardam em entender esta tendência inevitável. Basta navegar um pouco e visitar alguns sites, para facilmente se constatar como alguns ainda não perceberam a importância deste canal de vendas.

Dê uma vista de olhos no que as empresas de referência fazem online, e provavelmente perceberá porque são líderes nos respetivos mercados.

Leave a comment

O seu endereço de email não será publicado.