As empresas começam paulatinamente a regressar à normalidade, e a redução de custos é especialmente relevante no período difícil que todos vamos enfrentar.

A gestão económica da frota da sua empresa é um aspeto certamente fundamental, e a opção pelo “elétrico” não pode deixar de ser ponderada. Este ano, temos uma novidade que veio reforçar a poupança na utilização de viaturas elétricas ou hibridas plug-in.

Efetivamente, existem consideráveis benefícios fiscais inerentes à aquisição de viaturas movidas a energia elétrica, face a veículos movidos a combustíveis fósseis. Relembre aqui todas as vantagens associadas à aquisição deste tipo de veículos.

Recentemente foi introduzida uma nova regra fiscal, que permite poupar ainda mais nos impostos quando utilizamos este tipo de viaturas mais “amigas do ambiente”. Agora, o IVA suportado na aquisição de eletricidade utilizada em viaturas elétricas ou hibridas plug-in passa a ser dedutível.

Ou seja, para além dos incentivos provenientes do Fundo Ambiental e da isenção do ISV e do IUC, é agora possível deduzir o IVA referente ao consumo de eletricidade, quando associadas aos veículos elétricos e híbridos plug-in.

Conheça aqui o caso da empresa da Sandra, e saiba como ela está a poupar quase 6 mil euros anuais!

A Sandra é gerente da empresa “Commerce, Lda.”, e renovou recentemente parte da frota da sua empresa, tendo optado por viaturas elétricas. Tal como a Sandra, mais 4 trabalhadores dos 17 que completam a empresa, utilizam veículos movidos a energia elétrica.

Entre as deslocações para a sede da empresa, e as visitas/reuniões com clientes, a Sandra faz cerca de 100kms diários. Uma vez que dispõe dessa possibilidade, aproveita para carregar a viatura de trabalho durante o dia, no seu escritório.

A Sandra contactou a UWU Solutions, no sentido de lhe explicar o benefício financeiro/fiscal adicional inerente ao uso da sua viatura no dia-a-dia! Ora vejamos…

O preço de carregamento, para um consumo de 15kWh, que equivale a 100kms percorridos, rondará os 2,00€ no posto de carregamento da empresa. Tendo como base os 2,00€ por cada 100kms percorridos durante os 22 dias mensais, vejamos os cálculos:

  • Viatura elétrica: 2,00€ x 22 dias x 11 meses = 484,00€
  • Viatura a gasóleo: 9,00€ x 22 dias x 11 meses = 1 694,00€

Considerando apenas o combustível consumido, teremos desde logo uma poupança de 1 210€.

Mas, para além disto, a empresa da Sandra poderá agora deduzir 23% do valor do respetivo custo, que corresponde ao IVA! Se considerarmos um custo mensal com os carregamentos de 484,00€, cerca de 90,50€ deste valor corresponde a IVA. Ora, este valor é totalmente dedutível, o que na realidade significa que o custo efetivo é de 393,50€.

Suponhamos agora, a título de exemplo, que todas as 5 viaturas elétricas da empresa da Sandra fazem a mesma média de quilómetros e de consumo por cada 100kms percorridos. Vejamos a poupança total, em comparação com a utilização de viaturas a gasóleo:

  • 5 viaturas elétricas: 5 x 2,00€ x 22 dias x 11 meses = 2 420,00€
  • 5 viaturas a gasóleo: 5 x 9,00€ x 22 dias x 11 meses = 8 470,00€
Também no IVA, temos uma diferença significativa. Conforme já referimos, é agora possível deduzir 100% do IVA suportado na eletricidade utilizada para carregar as viaturas da empresa. Por seu lado, no caso de viaturas a combustão, temos apenas a possibilidade de deduzir 50% do respetivo IVA no gasóleo, ao passo que na gasolina não existe qualquer possibilidade de dedução.

Considerando este efeito do IVA (possibilidade de dedução total ou parcial), temos então:

  • 5 viaturas elétricas:
    • 2 420,00€ ÷ 1,23 = 1 967,48€ (custo, considerando a dedução de 100% do IVA).
  • 5 viaturas a gasóleo:
    • 8 470,00€ ÷ 1,23 = 6 886,18€
    • Valor total do IVA = 1 583,82€
    • Valor do IVA não dedutível (50%) = 791,91€
    • Custo efetivo = 6 886,18€ + 791,91€ = 7 678,09€

Ou seja, podemos concluir que a opção pelas 5 viaturas elétricas permite à empresa da Sandra poupar um total anual de cerca de 5 710€ (7 678,09 - 1 967,48). Para além da óbvia poupança ambiental, claro!

Mas há mais: nas viaturas a combustão existe uma tributação adicional no IRC (denominada “tributação autónoma”), que na prática pode representar um custo adicional entre os 10% e os 45% do valor de aquisição e respetivos custos de utilização. Ora, para viaturas totalmente elétricas não se aplica esta tributação adicional (nas híbridas Plug-in existe essa tributação adicional, mas ainda assim significativamente menor em comparação com uma viatura a combustão).

Como vimos, a poupança fiscal é evidente, quando comparamos as alternativas em análise. Faça como a Sandra, e invista tempo nos cálculos para a sua empresa na hora de renovar a frota. Pode poupar euros, e simultaneamente o ambiente!


voupoupar.pt - Livros essenciais para grandes investidores!

Notícias em destaque:

Pretendemos mostrar-lhe algo valioso para si: a estratégia de poupança que desenhámos para a empresa “Plano Dedicado, Lda.”!

Continuar a ler
Planear para poupar: A estratégia de 2020! – Parte 1

Marco Libório, partner da UWU Solutions e Autor do livro “Como poupar em impostos no imobiliário”, estará presente como orador...

Mais informações
Participe no 3º Workshop de Investimentos Imobiliários

Para além deste agravamento das contribuições, surge ainda um novo intervalo que exige a contribuição. Isto é, se a...

Continuar a ler
Alteração à isenção das contribuições para a segurança Social

O Pedro e a Joana criaram o seu negócio há cerca de 4 anos. Naturais de Lisboa, foi aqui que decidiram avançar juntos para esta primeira aventura empresarial. O negócio vinha correndo acima...

Continuar a ler
Trespasse ou Venda da empresa [Enquadramento]
Visite o nosso arquivo de notícias