Em jeito de conclusão, estamos de volta com o terceiro e último vídeo sobre o Pedro e a Joana.

De acordo com o enquadramento analisado no primeiro vídeo e os cenários analisados no segundo vídeo (venda ou trespasse), iremos, neste terceiro e último vídeo apresentar-lhe qual a melhor opção a tomar pelos nossos jovens empreendedores.

O próximo caso pode ser o seu! Caso necessite da nossa ajuda, não hesite em contactar-nos.

Trespasse do negócio

Conforme verificámos pelos cálculos, o IRC a pagar pela empresa seria de 1.785€;

Como neste cenário o montante da transação (150.000€) é recebido pela empresa, é possível liquidar o empréstimo bancário de 100.000€ diretamente; por seu lado, os restantes 50.000€ são suficientes para devolver os suprimentos aos sócios (de sublinhar que este pagamento aos sócios não é objeto de qualquer tributação);

Assim, em termos práticos, o Pedro e a Joana resolviam a questão do Passivo da empresa, liquidando a dívida bancária, e em simultâneo recebiam 35.000€ sem qualquer tributação.

Venda da empresa

Neste cenário o tratamento fiscal não é idêntico para todos os sócios; conforme vimos, o Pedro e a Joana serão tributados em IRS, num montante de 11.760€, ao passo que o sócio investidor não estará sujeito a qualquer tributação na sua mais-valia;

Numa perspetiva prática, o Pedro e a Joana teriam um rendimento líquido de 72.240€ (84.000€ - 11.760€);

Simultaneamente, ao vender a empresa está implícito no negócio que perderão o direito a receber de volta os suprimentos efetuados, no montante de 35.000€;

Acresce que terão de assumir a sua quota-parte na dívida bancária da empresa, ou seja 60.000€ (60% de 100.000€).

Assim, “no final do dia” recuperariam um montante líquido de 12.240€ (72.240€ - 60.000€).

Em resultado do estudo efetuado, podemos concluir que o cenário de trespasse é o mais vantajoso para o Pedro e para a Joana.

Efetivamente, o trespasse conduz a uma maior otimização fiscal, comparativamente ao cenário de venda das quotas, permitindo ao nosso casal de empreendedores receber um montante final superior.

Desta vez ajudámos o Pedro e a Joana a encontrar a melhor solução fiscal para a venda do seu negócio.

O próximo caso pode ser o seu. Caso necessite da nossa ajuda, não hesite em contactar-nos.



Notícias em destaque:

Os benefícios fiscais associados à aquisição de viaturas elétricas e híbridas plug-in, são uma variável...

Continuar a ler
Aquisição de um veículo híbrido plug-in por empresa Isenta de IVA

Se tem viaturas vinculadas à sua empresa, deve ser do seu conhecimento que algumas destas, nomeadamente as ligeiras de passageiros, estão...

Continuar a ler
Tributação autónoma sobre viaturas ligeiras de mercadorias

Tendo em conta o caráter legal desta nova obrigação, e a importância da mesma para a sua empresa, a UWU terá o maior prazer em fornecer-lhe...

Continuar a ler
RCBE - Já conhece as novas obrigações legais da sua empresa?

Os Pagamentos por Conta de IRC são um imposto, adicional ao IRC, a que todas as empresas estabelecidas em território português estão...

Continuar a ler
Pagamentos por Conta de IRC – Experimente o nosso simulador!
Visite o nosso arquivo de notícias