Sabia que a sua empresa pode beneficiar de isenção ou redução nas contribuições pagas à Segurança Social?

Efetivamente, existe a possibilidade de otimizar os encargos com a Segurança Social, tendo em conta o seguinte:

  • Isenção do pagamento das contribuições, na contratação de:
    • Desempregados de muito longa duração;
  • Redução do valor das contribuições, na contratação de:
    • Jovens à procura do 1.º emprego; e
    • Desempregados de longa duração.

Assim, para que possa usufruir desta redução no valor das suas contribuições, partilhamos aqui toda a informação relevante que deverá ter em conta.

Se necessitar de ajuda não hesite em contactar-nos.

A quem se aplica?

Podem ter acesso, à isenção do pagamento das contribuições para a Segurança Social, as empresas que celebrem contratos de trabalho sem termo com:

  • Desempregados de muita longa duração*.


E que respeitem as seguintes condições de acesso:

  • Estar regularmente constituída e devidamente registada;
  • Ter a situação contributiva e tributária regularizada;
  • Não tenha atraso no pagamento das retribuições;
  • Tenha ao seu serviço, no mês do requerimento, um número total de trabalhadores superior à média dos trabalhadores registados nos 12 meses imediatamente anteriores.

*- Consideram-se desempregados de muito longa duração pessoas com idade igual ou superior a 45anos e se encontrem inscritas no centro de emprego há 25 meses ou mais. Estão também incluídos os trabalhadores que:

  • Celebraram contrato de trabalho por tempo indeterminado que tenha cessado durante o período experimental;
  • Frequentaram estágio profissional;
  • Estiveram inseridos em programas ocupacionais;
  • Celebraram contrato de trabalho a termo ou exercido trabalho independente por período inferior a 6 meses, cuja duração conjunta não ultrapasse 12 meses.
Qual a duração do período de isenção?

A isenção do pagamento das contribuições para a Segurança Social é válida por um período de:

  • Desempregados de muita longa duração - A contratação de desempregados de muito longa duração, beneficia da isenção temporária da taxa contributiva da responsabilidade da entidade empregadora, durante um período de três anos.


Por consequência, a isenção do pagamento das contribuições para a Segurança Social é iniciada:

  • Na data de início do contrato detrabalho;
  • No início do mês seguinte ao da entrada do requerimento, se este for apresentado fora do prazo;
  • No início do mês seguinte ao da regularização da situação, no caso de:
    • o requerimento ter sido indeferido por a entidade empregadora não estar regularmente constituída e devidamente registada;
    • não ter a situação contributiva e tributária regularizada perante a SegurançaSocial e as Finanças;
    • ter atraso no pagamento das retribuições.

Nota: A contagem do período de isenção é suspenso se o contrato de trabalho for suspenso devido a situações comprovadas de incapacidade ou impossibilidade para o trabalho, por parte do trabalhador.

Em que situação pode cessar a isenção?

A empresa vê a isenção do pagamento das contribuições para a Segurança Social cessar quando:

  • Terminar o período de concessão;
  • Deixarem de se verificar as condições de acesso;
  • Verificar-se a falta de entrega, no prazo legal, das declarações de remuneração ou falta de inclusão de quaisquer trabalhadores nas referidas declarações;
  • Cessar o contrato de trabalho.
Como ter acesso à isenção?

As empresas podem requerer o acesso, à isenção do pagamento das contribuições para a Segurança Social, através do serviço Segurança Social Direta.

Este requerimento, que é acompanhado da cópia do contrato de trabalho, deve ser apresentado até aos 10 dias seguintes à data de início do contrato de trabalho.

Os serviços de segurança social podem solicitar às entidades empregadoras, ou aos trabalhadores abrangidos, os meios de prova documental necessários à comprovação das respetivas situações.

Se necessitar de ajuda não hesite em contactar-nos.

A quem se aplica?

Podem ter acesso, à redução do valor das contribuições para a Segurança Social, as empresas que celebrem contratos com:

  • Jovens à procura do 1.º emprego* 1; e
  • Desempregados de longa duração*2.


E que respeitem as seguintes condições de acesso:

  • Estar regularmente constituída e devidamente registada;
  • Ter a situação contributiva e tributária regularizada;
  • Não tenha atraso no pagamento das retribuições;
  • Tenha ao seu serviço, no mês do requerimento, um número total de trabalhadores superior à média dos trabalhadores registados nos 12 meses imediatamente anteriores.

*1 - Consideram-se Jovens à procura do 1.º emprego as pessoas que, à data da celebração do contrato de trabalho, tenham idade igual ou inferior a 30 anos e nunca tenham exercido atividade profissional ao abrigo de contrato de trabalho sem termo.

*2 - Consideram-se desempregados de longa duração as pessoas que se encontrem inscritas no Instituto do Emprego e Formação Profissional, há 12 meses ou mais. Estão também incluídos os trabalhadores que:

  • Celebraram contrato de trabalho por tempo indeterminado que tenha cessado durante o período experimental;
  • Frequentaram estágio profissional;
  • Estiveram inseridos em programas ocupacionais.
Qual o montante e a duração do período da redução?

A redução do valor das contribuições para a Segurança Social é atribuída da seguinte forma:

  • Jovens à procura do primeiro emprego - é aplicada uma redução de 50% da taxa contributiva, durante um período de 5 anos;
  • Desempregados de longa duração - é aplicada uma redução 50% da taxa contributiva, durante um período de 3 anos;


Por consequência, a redução do valor das contribuições para a Segurança Social é iniciada:

  • Na data de início do contrato de trabalho;
  • No início do mês seguinte ao da entrada do requerimento, se este for apresentado fora do prazo;
  • No início do mês seguinte ao da Regularização da situação, no caso de:
    • o requerimento ter sido indeferido por a entidade empregadora não estar regularmente constituída e devidamente registada;
    • não ter a situação contributiva e tributária regularizada perante a Segurança Social e as Finanças;
    • ter atraso no pagamento das retribuições.


Nota: A contagem do período de redução é suspenso se o contrato de trabalho for suspenso devido a situações comprovadas de incapacidade ou impossibilidade para o trabalho, por parte do trabalhador.

Em que situação pode cessar a redução?

A empresa vê a redução do valor das contribuições para a Segurança Social cessar quando:

  • Terminar o período de concessão;
  • Deixarem de se verificar as condições de acesso;
  • Verificar-se a falta de entrega, no prazo legal, das declarações de remuneração ou falta de inclusão de quaisquer trabalhadores nas referidas declarações;
  • Cessar o contrato de trabalho.
Como ter acesso à isenção?

As empresas podem requerer o acesso, à redução do valor das contribuições para a Segurança Social, através do serviço Segurança Social Direta.

Este requerimento, que é acompanhado da cópia do contrato de trabalho e da declaração do trabalhador em como não esteve vinculado por contrato de trabalho sem termo, deve ser apresentado até aos 10 dias seguintes à data de início do contrato de trabalho.

Se necessitar de ajuda não hesite em contactar-nos.



Notícias em destaque:

Sabe que são cada vez mais os portugueses que decidem exercer atividade de Trabalhador Independente? Efetivamente...

Continuar a Ler
Os impostos de um Trabalhador Independente

Se tem viaturas vinculadas à sua empresa, deve ser do seu conhecimento que algumas destas, nomeadamente as ligeiras de passageiros, estão...

Continuar a ler
Tributação autónoma sobre viaturas ligeiras de mercadorias

Para usufruir da dedução de despesas no seu IRS, para além de pedir as faturas com número contribuinte teria de as validar no E-fatura, de acordo com...

Continuar a ler
IRS 2017 - Dedução de despesas no seu IRS

Foi publicado, no passado dia 31 de Agosto, um ofício que vem permitir a alteração das informações dos patrimónios prediais, pelos casais e unidos de facto. Deste modo, se a sua informação...

Continuar a Ler
AIMI - Casais podem corrigir informações sobre património
Visite o nosso arquivo de notícias