Dando continuidade ao conteúdo anterior, onde identificámos os benefícios fiscais sobre a aquisição de viaturas elétricas e híbridas plug-in, partilhamos de seguida o caso do Isaac!


O Isaac é gerente da empresa Resolvemais, Lda. e, no desenvolvimento da sua atividade profissional, tem a constante necessidade de utilizar um meio de transporte para se deslocar até aos seus clientes. Para tal, o Isaac optou por adquirir um veículo ligeiro de passageiros e, de acordo com as condições da sua empresa, definiu o limite de aquisição do mesmo em 30.000€.

Assim, num âmbito comparativo, analisemos os ganhos obtidos simplesmente por ter escolhido um veículo mais amigo do ambiente.

Vamos admitir o valor fixo de 30.000€ e considerar como opções:

  • Uma viatura movida a gasóleo;
  • Uma movida exclusivamente a energia elétrica; e
  • Uma viatura Híbrida plug-in.
Viatura movida a gasóleo

Se o Isaac optar por um veículo movido a gasóleo apenas poderá considerar como custo fiscal o valor de 25.000€, “perdendo” dessa forma a dedução de 5.000€ e não poderá, a nível fiscal, deduzir qualquer valor referente ao IVA.

Quanto às tributações autónomas sobre o veículo, estará sujeito a uma taxa de 27,5%, caso apresente lucro, ou seja, terá de entregar cerca de 8.250€ referentes a tributações. Caso a sua empresa apresente prejuízo, esta tributação será agravada em 10%, tendo de pagar cerca de 11.250€.

Viatura movida exclusivamente a energia elétrica

Em alternativa, se o Isaac optar por um veículo movido exclusivamente a energia elétrica, pelo mesmo valor, poderá considerar o custo total de aquisição na contabilidade da sua empresa.

Poderá deduzir o valor total do IVA da viatura e não terá de entregar qualquer imposto sobre a aquisição da viatura, independentemente do resultado da sua empresa.

Viatura Híbrida plug-in

Por fim, o Isaac tem ainda a possibilidade de optar por uma viatura híbrida plug-in na qual, mantendo o mesmo valor de aquisição, poderá considerar como custo a totalidade do valor de aquisição da viatura deduzido do valor do IVA, pois tem a possibilidade de deduzir o IVA da aquisição da mesma.

E, apesar de estar sujeito à tributação sobre o veículo, esta será inferior, quando comparada com a tributação de um veículo movido a combustíveis convencionais, em cerca de 22,5%.

Assim sendo, a tributação sobre a aquisição do veículo será, neste caso, de 5% o que corresponde a cerca de 1.219,5€, menos cerca de 7.030,5€ quando comparado a uma viatura movida a combustíveis convencionais. Caso a empresa apresente prejuízo esta tributação será agravada em 10%.

Conclusão

Após confrontar as suas opções, o Isaac verificou o seguinte:

Do ponto de vista fiscal a opção pelo veículo movido a gasóleo é claramente a menos favorável.

Efetivamente, combinando o efeito simultâneo do IVA e do IRC, as opções elétricas e híbrido plug-in permitem uma poupança significativa à empresa do Isaac.



Notícias em destaque:

A Alfa Lda. está bem e recomenda-se! Tendo em conta os bons resultados, os dois sócios Pedro e Vasco (detêm 50% do capital cada), pretendem premiar a equipa pelo seu contributo. No entanto...

Continuar a ler
Quer premiar a sua equipa – Saiba como!

Não raras vezes estes conceitos tendem a causar alguma confusão, pelo que importa esclarecer que se tratam de conceitos distintos. A diferença fundamental entre...

Continuar a ler
Gratificações de balanço vs Distribuição de resultados

Se deseja criar um negócio, ou se já se encontra no processo de criação do mesmo, é provável que esteja hesitante sobre o tipo de empresa a criar. Efetivamente, existem várias formas de...

Continuar a Ler
Sabe quais são os tipos de empresas existentes?

Apesar de ainda não se tratar da versão final, consideramos relevante partilhar consigo desde já as propostas de alteração mais relevantes, no âmbito fiscal, para 2018.

Continuar a ler
Orçamento do estado 2018 – Conheça os principais aspetos
Visite o nosso arquivo de notícias