É emigrante e pretende voltar a viver em Portugal? Então este artigo é para si!

O Orçamento do Estado para 2019 apresentou um regime fiscal bastante favorável destinado a ex-residentes, denominado Programa Regressar.

Mediante este benefício, caso se torne residente em Portugal no ano de 2019 ou 2020, apenas será tributado sobre metade dos rendimentos auferidos. Este benefício estende-se ainda nos quatro anos seguintes.

O Programa Regressar aplica-se aos rendimentos que obtenha, quer como trabalhador independente quer como trabalhador por conta de outrem, desde que:

  • Não tenha sido residente nos últimos 3 anos;
  • Tenha sido residente em 2015 ou em anos anteriores;
  • Não tenha dividas ao estado;
  • Não tenha solicitado a inscrição como Residente não Habitual.

Para uma melhor perceção, consulte o caso da Maria Inês, e confirme qual a opção que lhe é mais favorável: Programa Regressar; ou Regime do Residente não Habitual!

A Maria Inês emigrou em 2015. No entanto, voltou para Portugal em janeiro de 2019 para integrar os quadros da empresa ‘’Regressar, Lda.’’, como consultora. Aufere mensalmente um vencimento de 2 000€ (correspondendo desta forma a um rendimento total anual de 28 000€).

Com a aplicação do Programa Regressar

Com o a aplicação do Programa Regressar, ao entregar o IRS (em 2020) referente aos rendimentos obtidos em 2019, apenas será tributada sobre 14 000€ em vez dos efetivamente recebidos 28 000€.

A taxa efetiva aplicada ao rendimento anual da Maria Inês seria:

  1. Sem a aplicação de regime: 21%;
  2. Com a aplicação do regime: 8%.

O que corresponde a uma poupança fiscal de 3 579€!

Para além disto, mensalmente, a Maria Inês também irá sentir esta poupança, pois a taxa de IRS mensal aplicada ao seu salário é determinada sobre metade do valor do mesmo.

Com a aplicação do Regime RNH (Residente não Habitual)

Assumimos agora que a Maria Inês respeita todas as condições para se enquadrar no regime de RNH.

Com a aplicação deste regime, e tendo em conta que a sua atividade é considerada de elevado valor acrescentado, os rendimentos da Maria Inês serão tributados a uma taxa autónoma de 20%. O que nos leva a uma taxa efetiva de tributação de 17%.

O que corresponde a uma poupança fiscal de 1 076€.

Resumidamente, após a análise dos dois cenários, temos:

Programa Regressar ou Regime do Residente não Habitual!

Podemos concluir que o regime fiscal mais favorável seria o Programa Regressar.

Note que, ao optar entre os dois regimes deve ter em atenção:

  • Requisitos exigidos para ambos os regimes;
  • Tipo de atividade a desenvolver: deve conferir se a sua atividade é considerada uma atividade de elevado valor acrescentado;
  • O Programa Regressar vigora por 5 anos enquanto que o regime de RNH tem uma vigência de 10 anos.

Gostaria de usufruir de um destes regimes? Nós ajudamo-lo!



Notícias em destaque:

O trabalho desenvolvido pelo casal teve muito sucesso, e decorrente da crescente necessidade de resposta no mercado, em janeiro de 2017, o Manuel e a Cristina aumentaram a sua equipa. Contrataram a tempo indeterminado...

Continuar a ler
Case Study: Benefício fiscal sobre a criação líquida de emprego

Nos passados dias 1 e 2 de maio, a UWU Solutions esteve presente na Accountex London 2019!

Continuar a ler
A UWU Solutions na Accountex 2019

O Orçamento do Estado para 2020 propõe uma redução indireta na tributação adicional sobre os veículos da sua empresa. Mas como...

Continuar a ler
OE 2020 - O que pode mudar na tributação da sua frota?

O subsídio de férias é uma remuneração extra concedida aos trabalhadores por conta de outrem, com contrato sem termo ou a prazo e, de acordo...

Continuar a ler
Subsídio de Férias – Já fez a sua simulação?
Voltar ao arquivo de notícias