A Carolina tem 33 anos e mora na região centro do País! Estudou engenharia informática e trabalha para uma empresa de desenvolvimento de aplicações mobile. Complementarmente, desenvolve alguns trabalhos para outras empresas, em regime de trabalhador independente.

A Carolina tem recebido várias comunicações sobre a alteração ao regime simplificado dos trabalhadores independentes. Após análise detalhada, facilmente se enquadrou nesta alteração! Prontamente, marcou uma reunião com a equipa da UWU Solutions, para tentar perceber de que forma estas alterações iriam influenciar a sua situação.

Após indicação do montante anual de rendimento independente obtido, a UWU Solutions apresentou-lhe a diferença na alteração à tributação dos seus rendimentos independentes, de acordo com a seguinte tabela:

tabela-tributacao-1.jpg

Considerando o valor anual estimado de 96 000€, o rendimento sujeito a imposto seria, de acordo com o regime anterior, de 75%. Ou seja, o imposto seria calculado sobre 72 000€.

Atualmente, a Carolina apenas poderá beneficiar deste coeficiente se justificar 10 296€, em despesas inerentes à sua atividade.

Após análise, apresentámos à Carolina dois cenários distintos:

  • Cenário I: Justifica as despesas necessárias;
  • Cenário II: Não justifica qualquer despesa.

tabela-tributacao-2.jpg

Assumindo que não apresenta despesas, o rendimento sujeito a imposto será de 82 296€ (72 000€ + 10 296€). Se considerarmos uma taxa de 48% (que engloba os rendimentos superiores a 80 640€) a Carolina irá obter um imposto a pagar de 31 126€.

Para evitar este aumento da carga fiscal, reunimos todas as suas despesas e comunicámo-las. Desta forma, o montante das despesas foi deduzido e o valor do imposto a pagar reduzido em 4 683€.

No que diz respeito à Segurança Social, e de acordo com os dados anteriores, a Carolina irá beneficiar de uma taxa de contribuição de 21,4%. Esta taxa irá incidir sobre 70% da média dos rendimentos obtidos no último trimestre.

Assim, assumindo que o valor de rendimentos do último trimestre é de 24 000€, o rendimento relevante será de 16 800€. Consequentemente, o rendimento relevante mensal médio é de 5 600€.

Como a Carolina acumula trabalho dependente com trabalho independente, irá pagar contribuições apenas sobre o excedente de 1 743,04€.

Logo, deverá pagar uma contribuição de 825,4€ mensais. Sendo que, este valor não será constante, ou seja, irá sempre incidir sobre o valor declarado referente ao trimestre anterior, através da declaração a ser entregue nos meses de janeiro, abril, julho e outubro.

Encontra-se numa situação semelhante ao da Carolina? Contacte-nos e otimize o seu rendimento, perante o atual sistema fiscal!



Notícias em destaque:

O Governo procedeu a alterações legislativas tendentes a reduzir substancialmente as contrapartidas devidas por despedimento coletivo, por extinção do posto de trabalho ou por inadaptação, bem como pela...

Continuar a Ler
Conhece as regras das indemnizações por despedimento?

De acordo com o conteúdo “Arrendamento tradicional - Diminuição da carga fiscal”, anteriormente publicado...

Continuar a ler
Qual o impacto da rescisão de um contrato de arrendamento?

Finalizado que está o período de pagamento do IRC de 2017 (terminou no passado dia 30 de junho), está na hora de fazermos um balanço à poupança fiscal que...

Continuar a ler
Poupança fiscal dos nossos clientes – os números de 2017

O regime de Residente Não Habitual permite, a quem pretende viver em Portugal, usufruir de um conjunto de benefícios, durante um...

Continuar a ler
Regime de Residente Não Habitual - Conheça as novidades
Visite o nosso arquivo de notícias