No passado dia 7 de julho, partilhámos consigo os critérios para verificar se a sua empresa podia recorrer ao Apoio à Retoma Progressiva.

Recentemente, as regras do Apoio à Retoma Progressiva sofreram uma alteração que potencialmente irá ajudar as empresas que estão visivelmente numa situação de crise empresarial.

As empresas que revelarem uma quebra de faturação igual ou superior a 75%, terão direito a um apoio adicional correspondente a 35% da retribuição das horas trabalhadas, referente a cada trabalhador com redução de horário.

Vejamos um exemplo prático:

A Celeste é gerente da “Têxteis de Bambu, Lda.”, uma loja online de roupa de produção nacional e sustentável. O decréscimo das vendas tem sido visível, e nem o desconfinamento e a relativa retoma da economia em maio, parecem ter melhorado esta situação. Como tal, a Celeste precisa de diminuir o horário dos seus colaboradores que dão apoio à gestão do site.

  • A Amália, é web-designer e tem um vencimento mensal de 1.500€;
  • O Amílcar, também web-designer, tem um vencimento ligeiramente superior, que ascende a 1.650€.

A empresa da Celeste verificou uma quebra de 76% na sua faturação, comparando com julho de 2019. Como tal, vai reduzir em 70% o horário semanal dos colaboradores, e estes vão passar a trabalhar 12h por semana. A Amália fica com um vencimento de 1.150€ e o Amílcar com 1.265€.

Vejamos em detalhe:

quadro01.png

A Amália e o Amílcar passam a ter de vencimento os valores de 1.150,00€ e 1.265,00€, respetivamente, após a redução do horário. Como tal, o custo para a empresa vai incluir o novo salário de cada colaborador, e a SS a cargo da entidade empregadora respeitante ao vencimento pelas horas trabalhadas. Já o complemento pela redução de horas está isento de SS, na parte da empresa.

Assim, o custo mensal para a empresa, com estes dois colaboradores, seria numa situação normal de 3.898,13€.Acedendo ao Apoio à Retoma, em agosto, aquele custo passa a ser de 2.639,44€.

É assegurada uma poupança de 1.258,69€ e, a esta, acresce o apoio da SS, que inclui:

  • 70% do complemento pela redução de horas; e
  • 35% do vencimento das horas trabalhadas (devido à quebra de faturação superior a 75%).

Tendo em conta o novo salário dos colaboradores Amália e Amílcar, o apoio da SS será no montante de 1.359,75€. No total, a “Têxteis de Bambu, Lda.” conseguirá poupar 2.618,44€.


Com a ajuda da UWU Solutions, a sua empresa também pode potenciar a redução de custos. Contacte-nos, e a nossa equipa irá ajudá-lo!



voupoupar.pt - Livros essenciais para grandes investidores!

Notícias em destaque:

Dentro do nosso sentido de missão e de dever, produzimos este manual, que agora disponibilizamos. Consulte-o e tire o melhor proveito dele!

Continuar a ler
Estado de Emergência - Consulte o manual que partilhamos!

A DLRR é um incentivo fiscal ao investimento para as PME! Este benefício permite que as empresas deduzam, no IRC, certa parte dos lucros...

Continuar a ler
DLRR - O benefício fiscal que lhe dá deduções no IRC!

Sabe que são cada vez mais os portugueses que decidem exercer atividade de Trabalhador Independente? Efetivamente...

Continuar a Ler
Os impostos de um Trabalhador Independente

As empresas que tenham uma quebra de faturação igual ou superior a 40 % podem beneficiar, entre agosto e dezembro de 2020, de...

Continuar a ler
Já conhece o novo Layoff? Confirme o que vai mudar.
Visite o nosso arquivo de notícias