É já no próximo dia 1 de julho que entrará em vigor a Lei n.º 7-A/2016, que estabelece alterações ao IVA com impacto na restauração.

Em termos gerais, passará a ser aplicada a taxa de 13% em vez da atual taxa de 23%, com a exceção do fornecimento de bebidas, onde a taxa aplicada varia consoante a sua natureza:

· Taxa normal (23%): bebidas alcoólicas, refrigerantes, sumos, néctares e águas gaseificadas;

· Taxa intermédia (13%): Águas naturais, chá, café, leite, e outras que não se enquadrem nas categorias anteriores.

Com o intuito de esclarecer eventuais dúvidas, disponibilizamos um conjunto de respostas às perguntas mais frequentes:

Quais os produtos afetados pela alteração do IVA

A taxa intermédia deverá ser aplicada nas prestações de serviços de alimentação e bebidas, com exclusão das bebidas alcoólicas, refrigerantes, sumos, néctares e águas gaseificadas ou adicionadas de gás carbónico ou outras substâncias, que permanecem tributados à taxa normal.

A taxa intermédia também se aplicará às refeições prontas a consumir, nos regimes de pronto a comer e levar ou com entrega ao domicílio.

Que IVA aplicar em caso de “Menu”?

Nos menus em que um restaurante aplica um preço único, o valor sobre o qual vai incidir o imposto é repartido pelas duas taxas, de forma proporcional. Ou seja, as diferentes taxas são aplicadas a uma base que é calculada tendo em conta o “peso” dos produtos que compõe o menu.

Por exemplo, num menu de 6 euros com prato principal, mais um refrigerante, as taxas são aplicadas em separado sobre o valor do prato e da bebida.

No caso de o restaurante não efetuar esta repartição proporcional, todo o menu é taxado a 23%.

Que IVA aplicar em caso de “Take-Away”?

Se o produto alimentar fornecido é para consumo fora do estabelecimento, não estamos perante uma prestação de serviços de alimentação e bebidas, mas sim perante a transmissão de bens. Neste caso deve aplicar-se a taxa de IVA que corresponde à venda de tal bem.

Se se tratar de uma refeição em regime “Take-Away” (sem serviços associados) aplica-se a taxa intermédia (13%).

Como devo implementar esta alteração do IVA?

Para implementar esta medida é necessário que os estabelecimentos adaptem os seus sistemas de faturação às novas taxas. Os mesmos têm de estar parametrizados para diferenciar os serviços prestados, aplicando a respetiva taxa. Estas novas necessidades podem acarretar novos gastos para os estabelecimentos com a necessidade de adaptação dos respetivos programas de faturação.



Notícias em destaque:

Começa no próximo mês de Abril, e estende-se até ao final do mês de Maio, o período de entrega da declaração de IRS relativa aos rendimentos obtidos em 2016. Este ano existem algumas novidades...

Continuar a ler
IRS 2016 - Faça já a sua simulação

O Sistema de Incentivos Fiscais em Investigação e Desenvolvimento Empresarias II, a vigorar no período de 2013 a 2020, visa apoiar as atividades de Investigação...

Continuar a ler
Sistema de Incentivos Fiscais em Investigação e Desenvolvimento Empresarias II (SIFIDE II)

Efetivamente, se a sua empresa transporta mercadorias, seja qual for a sua natureza ou espécie, as mesmas devem ser acompanhadas por documentos de transporte. Estes documentos devem...

Continuar a Ler
Regime de Bens em Circulação - O que necessita saber?

Sabia que, ao adquirir viaturas elétricas e hibridas plug-in, pode usufruir de benefícios fiscais? Efetivamente, com a aquisição deste tipo de viaturas, as empresas podem usufruir de alguns benefícios fiscais...

Continuar a ler
Conheça os Benefícios Fiscais para as viaturas elétricas e plug-in
Visite o nosso arquivo de notícias