Começou este mês, e estende-se até ao final de junho, o prazo para entrega da sua declaração de IRS! Posteriormente, o prazo para pagamento do imposto verificar-se-á até ao final do mês de agosto.

Para apoiá-lo na otimização dos rendimentos, por si obtidos durante o ano de 2018, temos vindo a publicar alguns artigos. Nomeadamente:

Não descurando estes artigos, poderá ainda confirmar aqui 4 pontos chave, que identificamos como importantes para a diminuição do seu imposto. Vejamos!
1. Entender a dinâmica do IRS

Em regra, o IRS é um imposto pago, por si, ao longo do ano.

Por exemplo, todos os meses, o valor do seu vencimento está sujeito a uma taxa de retenção. Com a aplicação desta taxa, está a pagar, de forma antecipada, o seu IRS.

O mesmo acontece com as suas rendas. Ao aplicar a respetiva retenção no seu recibo, deixa de receber o valor total do rendimento e paga antecipadamente o seu imposto.

Posteriormente, na fase da entrega da sua declaração, tem oportunidade de determinar a sua taxa efetiva de IRS. Mediante apresentação do imposto previamente pago e das despesas em que incorreu ao longo do ano.

De uma forma simplificada:

  • Se o imposto pago ao longo do ano for superior ao imposto devido: Terá imposto a receber.
  • Se o imposto pago ao longo do ano for inferior ao imposto devido: Terá imposto a pagar.

Se não entregou este imposto ao longo do ano (retenção), também não o poderá recuperar, através desta confrontação entre rendimentos e despesas.

2. Confirmar novamente as suas despesas

Nesta fase, ainda é possível retificar despesas relativas a saúde, educação e imóveis.

Imagine, por exemplo, que tem uma despesa de saúde no valor de 850€ e que, por lapso, está classificada como despesa geral familiar. Colocando-a devidamente como despesa de saúde, o valor da sua dedução (127,5€) poderá fazer a diferença, entre imposto a pagar ou a receber.

3. Simular

Esta é a regra mais importante para que possa poupar no seu imposto!

Antes de entregar a sua declaração, simule todas as suas possibilidades e utilize a que lhe permite uma maior poupança fiscal.

Pode por exemplo:

  • Simular o seu IRS em conjunto e em separado;
  • Simular o seu IRS com englobamento e sem englobamento;
  • Simular o seu IRS com a devida retificação de despesas;
  • Etc.
4. Analisar

Para concluir, é importante que faça uma reflexão e, simultaneamente, analise a atual tributação dos seus rendimentos.

Queremos com isto dizer que, poder-se-á debruçar sobre esta declaração como um reflexo da sua tributação futura.

Por vezes, a devida identificação de uma fatura pode fazer uma diferença significativa na sua declaração. Por exemplo, a dedução associada às despesas gerais e familiares dos seus dependentes também pode ser considerada na sua declaração!

Tem solicitado a devida identificação destas despesas? Por cada dependente poderá deduzir 250€! Está a utilizar este benefício?

Tem uma dúvida ou necessita de ajuda na entrega da sua declaração? Contacte-nos!



Notícias em destaque:

Os indicadores de atividade mostram os aspetos operacionais da atividade da empresa, sobretudo relativamente à rapidez da empresa em conseguir pagar as suas obrigações financeiras em...

Continuar a ler
[Vídeo 05] Análise de Rácios - Indicadores de Atividade

Até ao surgimento “em força” do Alojamento Local, o arrendamento (conforme previsto no RAU) era a forma mais comum de rentabilizar...

Continuar a ler
E se eu for obrigado a englobar as rendas?

O Tiago mora em Lisboa e exerce advocacia, há cerca de 15 anos, numa sociedade líder em...

Continuar a ler
O advogado como trabalhador independente

O Orçamento do Estado para 2020 propõe uma redução indireta na tributação adicional sobre os veículos da sua empresa. Mas como...

Continuar a ler
OE 2020 - O que pode mudar na tributação da sua frota?
Visite o nosso arquivo de notícias