Se existem no seu agregado familiar estudantes deslocados, é relevante saber como pode deduzir as despesas incorridas com rendas.

Desde 2018 que estas rendas, pagas por estudantes deslocados, podem ser deduzidas na categoria "Despesas de educação" do seu IRS. A esta dedução adicional é fixado o limite anual de 300€.

Esta categoria permite-lhe deduzir, por membro do agregado familiar, 30% do valor suportado com despesas de educação (respeitando o limite máximo de 800€).

No entanto, para que possa deduzir o respetivo valor é necessário cumprir alguns critérios. Caso os mesmos sejam cumpridos, esta dedução permitir-lhe-á deduzir, por membro do agregado familiar, 30% do valor suportado com estas despesas.

Assim, para que possa deduzir o valor das rendas acima descritas, é exigido que os membros do agregado familiar que suportam estas despesas:

  • Não tenham mais de 25 anos;
  • Estejam inscritos numa instituição de ensino;
  • A instituição de ensino se situe a mais de 50 km da residência permanente do agregado familiar.

Para além destes requisitos, as faturas, relativas a estas rendas deverão ser comunicadas à Autoridade Tributária, com a indicação de que se destinam ao arrendamento de estudante deslocado.

Adicionalmente, é necessário que seja associado ao contrato de arrendamento esta característica - “estudante deslocado”. Poderá fazê-lo através da identificação do estudante, no Portal das Finanças, acedendo à funcionalidade “registar estudante deslocado.

Cumprindo estes critérios, pode alcançar uma significativa poupança fiscal aquando da entrega do próximo IRS.

O Eduardo entrou, no presente ano, para o curso de Gestão de Empresas numa universidade de Lisboa, sendo que a morada permanente do seu agregado familiar é em Leiria.

Se já era possível deduzir despesas de educação até ao limite dos 800€, neste momento, para o Eduardo (estudante deslocado), este limite passará a ser de 1 000€. Isto, caso a diferença entre estes dois limites apenas respeite o valor das referidas rendas.

Consideremos o seguinte:

  • O Eduardo registou-se no Portal das Finanças como estudante deslocado;
  • Excluindo as despesas inerentes ao arrendamento, apresenta cerca de 2 500€ de despesas inerentes a educação (incluindo propinas);
  • Arrendou um quarto em Lisboa, no valor mensal de 400€.

O resultado da análise foi o seguinte:

  • Sem a dedução do valor das rendas do Eduardo:
    • Apenas poderia deduzir ao IRS do agregado familiar, o montante de 750€.
  • Com a dedução adicional das rendas do estudante:
    • Poderá deduzir ao IRS do seu agregado, 1 000€ (limite).
  • Verifica-se uma dedução fiscal adicional de 250€.

Otimize o regresso às aulas dos seus estudantes e, se necessitar de ajuda, contacte-nos!



Notícias em destaque:

Se já teve a oportunidade de emitir ou pagar um recibo de renda, muito provavelmente, estará familiarizado com o termo...

Continuar a ler
Retenção na Fonte - O que é, e quando é obrigatório?

Para além deste agravamento das contribuições, surge ainda um novo intervalo que exige a contribuição. Isto é, se a...

Continuar a ler
Alteração à isenção das contribuições para a segurança Social

Tratando-se de um sistema de compensação, no qual se pretende garantir o pagamento de uma parte da retribuição, a que os trabalhadores têm...

Continuar a ler
Reembolso do Fundo de Compensação do Trabalho (FCT)

Sabe que são cada vez mais os portugueses que decidem exercer atividade de Trabalhador Independente? Efetivamente...

Continuar a Ler
Os impostos de um Trabalhador Independente
Visite o nosso arquivo de notícias